Medidores de caráter

Na boa. Um dos grandes mistérios pra mim é essa parada do Orkut de quantificar seu caráter (vamos colocar “sexy” como elemento constitucional do caráter) e seus respectivos símbolos.
Eu sei, que isso é um tipo de estatística tosca que funciona de acordo com o que seus amigos marcam sobre você. Mas, mesmo assim… continua sendo estranho.

Por exemplo: confiável. Como assim 90% confiável? Com certeza alguém não me deu total neste quesito, mas não quer dizer que eu tenha levado um zero. Ou você É (entenda esse “é” como 100%) ou NÃO É (entenda como 0%), oras! Não tem como ser 90%, 70%, 44,67% confiável.

-Ah sabe que que é? Fiz uma estimativa com base nos nossos últimos diálogos e constatei que você mentiu 3 vezes num total de 30 afirmativas. Como as 27 restantes eram verdadeiras, você é 90% confiável.

E o símbolo do confiável então? Um smile feliz! Nada contra, mas, suponhamos que eu tivesse 0% de confiabilidade. Ele continuaria ali, sorrindo! Ele sorri tanto pro seu reconhecimento pleno e inquestionável, quanto pra sua miséria e desgraça. Mas ele nunca muda aquele sorriso dúbio. Ele não é confiável! Como saber se ele está sorrindo graças a sua notável capacidade de ser confiável perante seus amigos ou se ele está sendo irônico? Super falso! Como um serzinho hipócrita como esse pode ser símbolo de confiabilidade? Ora, faça-me o favor!

Agora o legal. O legal é sem graça. Tipo, eu acho que uma pessoa ser legal é “quantificável” (se não existir essa palavra, lembre-se sempre da liberdade poética e dos neologismos)¹, então é sem graça porque nem dá pra criticar muito.

-Ahhh Fulano(a) é meio legal.

Não, não é força de expressão. Tal Fulano(a) é REALMENTE 50% legal. As pessoas têm lampejos de legalidade. (Legalidade, s.f. Caráter do que é legal. De acordo com a liberdade poética conferida ao autor que aqui vos escreve, pode-se considerar tal palavra como inerente a todos os sentidos de “Legal”.) Uma pessoa não constrói o seu ser legal. É uma coisa de momento. Hoje você é a pessoa mais legal do mundo, amanhã a menos. E cuidado: ser legal em excesso pode te transformar em um chato de carteirinha! Vide o carinha das Casas Bahia. Ah! No início eu achava ele legal!

Mas o que me incomoda mesmo é o símbolo do legal. Quadradinhos azuis. Muita gente fala que é “gelinho”. Aí me pergunto: O QUE TEM A VER GELO E LEGAL?????!!!!!!!!! Ok, eu curto neve (mesmo nunca tendo pegado ou visto de perto), frio e essas coisas em geral, portanto, pra mim, tudo isso é “legal”. Mas mesmo assim. Não faz sentido. A única explicação mais lógica que achei é que em inglês, legal é “cool” e frio (que é representado pelo gelo) é “cold”. Cool, cold… Ok, forcei a barra. Mas não me surpreenderia se fosse por isso!

O sexy agora. Esse é, sem dúvidas, o mais intrigante. De acordo com meu Orkut, sou 80% sexy. Pô! Por que então nunca recebi um convite dessas pessoas que me acham sexy? Convite que eu falo é um scrap do tipo “olá! to sozinha hj aki em ksa! q tal dar uma passadinha lah? bjos gatinho!” Não me venha com essa de ficar sem jeito não! Você marcou lá que eu sou sexy não foi a toa! Não paguei pra fazer isso, você foi lá por livre e espontânea vontade. Com segundas intenções, pressuponho. Aliás, primeiras mesmo, porque qual seria a intenção de uma pessoa que classifica sexy a outra? O único problema é se eu não te achar sexy também. Se você for homem, desista, pode tirar seu cavalinho da chuva… Agora, se for mulher, baranga, em especial, a gente pode sentar e conversar. Dependendo, a minha amiga Vodka pode te ajudar, se não… complica. Poderia ter um “barangômetro” no orkut pra facilitar esse processo de seleção, né?

¹ Disfarço falta de vocabulário com neologismos e liberdade poética

Anúncios

TrackBack Identifier URI