O que falar para os netos?

Uma coisa que me aflige bastante é chegar aos meus 89 anos. Não, não é o medo da velhice, nem dos peitos caídos da minha esposa. Quer dizer, agora que pensei nisso… mas isso deixa pra outra hora!

O que me aflige é a seguinte cena:

Eu descansando na minha cadeira de balanço, tranqüilo, na minha casinha de campo nos alpes suíços, vendo meus netinhos brincarem no xbox5748 ou mexendo em seus mp74’s angelicalmente. Daí acaba a energia e, estranhamente, todas as baterias também descarregam (falta de tecnologia dá nisso!). Meus netinhos tornam suas atenções aos meus velhos olhos calmos, dignos de um mestre Kami de artes marciais, enrugados como os peitos caídos da minha velha. Seus olhinhos em um primeiro instante, estão apavorados. Mas o meu olhar descansado e sábio, acalma-os logo em seguida. E logo sacam que foi só mais uma nave alienígena com uma porra de um campo eletromagnéticoaocaralho que tava fazendo entregas de água mineral na área e fudeu com os esquemas das baterias e outras fontes de energia. Inclusive a solar.  Como a vizinhança era grande e era fim do mês, a porra da nave iria demorar um bom tempo na região, então, Pedro Neto puxa minha camisa floral que eu comprei nas minhas férias no Havaí antes do tsunami de 2046 (ahhh bons tempos!) e me pede pra contar uma história.

Pá!

Visualizaram a cena?

Sacaram o drama?

Errr… você vai ser abduzido pelos aliens da COPASA suíça?

Não! O que me aflige é não ter histórias para contar! Tá, eu fui no Havaí, comprei uma blusa floral, tomei alguns mojitos a mais, dancei hula-hula com golfinhos e acabei pegando uma maori que, no dia seguinte, me mostra ser um maori. Mas foi antes do tsunami! Seria mais divertido pra contar pros netos! Que o avô deles, bravamente, surfou no tsunami e abalou geral! IIIIIIIISSAAAAAAAAAA!!! Mas não. Vou ter que me contentar em falar da parte dos golfinhos. Paia.

Queria ter umas histórias do tipo: fui ator pornô e contracenei com a Maísa em 2033 dentro de uma piscina de bolinhas, ou então, quando fui à Escócia em 2039 e achei um ovo do Monstro do Lago Ness, ou até mesmo, quando fui ao Japão ver meu América ser campeão mundial vencendo o Real Madri por 5×0 em 2009.

Mas nem tenho essas histórias. Tomara que esse blog exista até lá e aí eu possa mostrar pra eles. Isso se eles não reclamarem da poeira que vai estar encrostada do meu pentium 7 que só funciona internet 3.0 (falta de tecnologia dá nisso!).

Tá lá no blogspot também, viado.

Anúncios

TrackBack Identifier URI